Skip to main content

If It's Melted It's Ruined
Globe outline Sun blazing

 

O tempo está escasso

Estamos muito orgulhosos de ter tido o privilégio de estar em Paris em dezembro de 2015, quando os líderes mundiais uniram-se para fazer algo realmente importante: adotar uma estrutura global para combater coletivamente as alterações climáticas, comprometendo-se ainda a manter o aumento da temperatura global média abaixo de 2º C. Este foi um momento histórico que durou muitos anos. No entanto, Paris não foi o fim; foi apenas o começo.

Com o lançamento do mais recente relatório do IPCC, o consenso da comunidade científica global não poderia ser mais claro: o mundo em que vivemos está já a experienciar os efeitos devastadores das alterções climáticas e o tempo corre rápido para evitar consequências ainda mais catastróficas.

 

As alterações climáticas estão relacionadas com a Justiça.

Desde secas e incêndios devastadores no oeste americano até ao crescimento das taxas de aumento do nível do mar e de furacões poderosos, as verdadeiras vítimas de um planeta em aquecimento não são apenas os ursos polares e os lençóis de gelo, mas também as pessoas.

No entanto, os efeitos da mudança climática não são  igualmente sentidos por todos. A cruel ironia das alterações climáticas é que, as pessoas que vivem em zonas ainda em desenvolvimento e, portanto, aquelas que tem mais dificuldades em adaptar-se, pagarão mais caro pelos 200 anos de industrialização e poluição do mundo desenvolvido. Esta é verdadeiramente uma questão de justiça climática.

 

Mas, ainda assim, existem boas notícias

Embora saibamos que o tempo para agir é curto, a incrível notícia é que sabemos o que é necessário ser feito e temos a tecnologia para o fazer. Com recursos tais como: fontes de energia renováveis, por exemplo a eólica ou a solar, avanços na eficiência energética em residências e escritórios, veículos elétricos e infra-estruturas de recarga e, por fim, agricultura regenerativa capaz de captar a poluição dos gases do efeito estufa, temos todas as ferramentas necessárias para trabalhar.

O recente relatório do IPCC afirma que, evitar os piores impactos das alterações climáticas e manter o aquecimento abaixo de 1,5º C “exigiria mudanças rápidas, de longo alcance e sem precedentes em todos os aspectos da sociedade”. Embora isso possa parecer assustador, é também uma oportunidade de transformar a nossa economia e força de trabalho em uma energia limpa do futuro.

 

Especificamente, devemos:

  • Colocar um preço no carbono
  • Reduzir as emissões de carbono em 45% até 2030
  • Alcançar os 85% de energia renovável até 2050
  • Parar de utilizar carvão definitivamente
  • Desistir totalmente da indústria de combustíveis fósseis
  • Garantir o apoio à mitigação e adaptação dos países em desenvolvimento

 

O que significa tudo isto para Ben & Jerry's?

Compreendemos que a pegada derivada dos gases de efeito estufa resultante da produção de gelado é significativa. Cada litro de gelado que produzimos gera cerca de 2 libras de gases de efeito estufa. Trabalhamos arduamente para reduzir as emissões a todos os níveis da produção ao longo da nossa cadeia de fornecimento. Instalámos um painel solar na nossa fábrica de Waterbury, VT, que gera um terço da eletricidade da planta da mesma. Instalámos ainda um biodigestor na nossa fábrica Hellendoorn, na Holanda, que transforma os resíduos de gelado dos processos de fabricação em energia limpa que ajuda a alimentar a fábrica, e contribuimos para uma tecnologia pioneira em casos de congelamento ecológico (ou seja, issento de HFC). Mas, para que fique claro, tudo isto não é suficiente e há muito mais trabalho a ser feito.

A Ben & Jerry's acaba de adotar uma nova meta climática destinada à nossa cadeia de valor. O objetivo é parte de um movimento crescente chamado Iniciativa de Metas Baseadas na Ciência, uma colaboração entre o CDP, o Pacto Global das Nações Unidas (UNGC), o World Resources Institute (WRI), o Fundo Mundial para a Natureza (WWF) e um dos We Mean Business Coalition. O SBTI ajuda as empresas a estabelecer metas, tendo em conta a mais recente ciência climática, para que nós, como comunidade empresarial, possamos fazer a nossa parte de modo a manter o aquecimento abaixo dos 2ºC.

 

Junte-se ao movimento global do clima

Se estiver derretido, é porque está danificado. Esta afirmação aplica-se tanto ao gelado como ao planeta.

Vai ser preciso mais do que apenas ações de pessoas e empresas individuais para combater as alterações climáticas. Precisamos de, coletivamente, chamar os nossos líderes para apoiar uma transição rápida para uma economia de energia limpa do futuro. Temos todas as ferramentas necessárias, só precisamos da vontade de fazê-lo.

Para Lideres Nacionais, Locais e Internacionais:
Os cientistas avisam que a mudança climática está fora do nosso controlo, ameaçando a nossa sobrevivência e tudo o que amamos. Pedimos que mantenham o aumento da temperatura abaixo de um nível inaceitavelmente perigoso de 1,5 graus centígrados. De maneira a que este objetivo seja alcançado, devem entregar urgentemente planos claros, que eliminem a poluição de carbono até zero antes de 2050 e mudem rapidamente as nossas sociedades e economias para uma energia 100% sustentável.

 

 

 

Junta te a nós para um Planeta 100% Limpo.

 

 

Os nossos amigos
  • AVAAZ-logo.pngA Avaaz  é um movimento global online para incentivar as pessoas com poder político na tomada de decisões em todo o mundo.

  • ClimateReality-logo2.pngO Projeto de Realidade Climática é uma organização sem fins lucrativos focada na educação sobre alterações climáticas. O projecto incentiva os cidadãos a tornarem-se activos na busca para a transformação e a expressarem as suas opiniões, fazendo- se ouvir pelo mundo

  • 350VT-logo.pngA 350.org é um movimento de mudança climática que está a organizar, incentivar e informar cidadãos em 188 países para pressionar os seus respectivos líderes a lidar com as alterações climaticas e a reduzir as emissões. O nome deriva do objetivo de reduzir os níveis de C02 da atmosfera dos atuais 400 para meonos de 350 ppm.

  • BICEP-logo.pngO BICEP é um movimento de mudança climática que está a organizar, incentivar e informar cidadãos em 188 países para pressionar os seus respectivos líderes a lidar com as alterações climaticas e a reduzir as emissões. O nome deriva do objetivo de reduzir os níveis de C02 da atmosfera dos atuais 400 para meonos de 350 ppm.

Back To Top
Os nossos últimos blogs

 

FAQs
  • É real. Está acontecer agora. Para nós, não se trata apenas de ursos polares e lençóis de gelo, é sobre pessoas e é uma questão de justiça econômica e social.

    Sempre nos comprometemos a minimizar o impacto negativo dos nossos negócios no meio ambiente. Fizemos investimentos em eficiência energética e redução de resíduos nas nossas instalações de produção, instalámos biodigestores que transformam resíduos em energia limpa na nossa fábrica na Europa e fornecemos somente cartões de papel do Forest Stewardship Council (FSC) para as nossas embalagens.

  • Assim como acontece com qualquer empresa de alimentos, muitos dos nossos parceiros, incluindo os nossos fornecedores de Comércio Justo no sul global, correm perigo perante um planeta em aquecimento. Dito isto, e porque as alterações climáticas são um risco para as pessoas que pertencem à nossa cadeia de fornecimento, também são um risco para nós e para os nossos negócios.

  • Para nós, a questão da mudança climática no mundo não é apenas uma questão ambiental. É uma ameaça para as pessoas mais pobres e vulneráveis do planeta. Este é um problema que foi, em grande parte, causado por nações ricas e desenvolvidas do norte, enquanto as nações menos desenvolvidas do sul  estão em maior risco, e têm menos recursos para se adaptar a um mundo que está a aquecer a uma velocidade exponencial. É uma questão de direitos humanos e justiça social.

  • Nós estamos nesta luta há algum tempo. Fizemos a nossa primeira campanha de defesa do aquecimento global em 2007, em parceria com a banda Dave Matthews. Tentamos, já ha algum tempo, forcarmo-nos na  redução do impacto ambiental dos nossos negócios. Investimos desde cedo e frequentemente na eficiência das nossas fábricas para aumentar a eficiência energética e reduzir o desperdício. Recentemente, batizamos um biodigestor na nossa fábrica de gelados na Holanda, que transforma o desperdício do processo de fabricação em energia limpa. Aqui está uma lista completa do que fizemos:

    • 2002 -  Compensações de carbono com a NativeEnergy para as nossas instalações de fabricação em Vermont
    • 2004 - Análise do Ciclo de Vida concluída para a produção da União Europeia (UE)
    • 2007 - UE iniciou compensações de carbono / inserção
    • 2007 - Campanha One Sweet Whirled Advocacy
    • 2008 - Inventário de carbono concluído nos EUA
    • 2008 - Parceria com o Greenpeace para ganhar a aprovação da EPA de gabinetes de refrigeração sem hidrofluorcarboneto (HFC)
    • 2014 - Análise do ciclo de vida completa nos  EUA
    • 2014 - Instalámos um biodigestor na nossa fábrica  Holanda
    • 2015 - Análise do ciclo de vida a completar na UE

     

  • Sabemos que as ações corporativas voluntárias não geram a mudança de sistemas em grande escala, escala essa necessária para manter o aquecimento abaixo de 2º C. Precisamos de líderes em todo o mundo para apoiar políticas que eliminem gradualmente os combustíveis fósseis e promovam um rápido aumento das energias renováveis. Somente um movimento social de base ampla vai construir a pressão sustentada sobre os líderes mundiais que podem oferecer esse futuro descarbonizado. É por isso que estamos comprometidos em ajudar a construir o crescente movimento climático internacional. Juntos, podemos mostrar aos líderes mundiais que a hora de agir é agora.

  • Estamos a incentivar os nossos fãs, consumidores e cidadãos a tornarem-se parte do movimento climático global. Se quisermos evitar uma mudança climática catastrófica, será necessário um amplo e diversificado movimento de cidadãos que estão dispostos a tomar ações diretas para proteger o nosso planeta. Incentivaremos assim os nossos fãs a juntarem-se à Avaaz, um dos muitos grupos que compõem o movimento global.

    A Avaaz continuará a envolver os nossos fãs e a incentivá-los a agir nos momentos em que puderem ser mais impactantes. Queremos oferecer aos nossos fãs uma maneira fácil de agir com o obetivo de combater um problema com o qual eles e importam.

  • 2015 é um grande ano. Líderes mundiais estabeleceram um prazo para finalizar um acordo internacional que exigiria que todas as nações reduzissem as emissões de gases do efeito estufa, a fim de manter o aquecimento abaixo do 2º C. Na verdade, 2015 ou colocará o mundo no caminho para um clima estável a longo prazo, ou nós ficaremos trancados num futuro com alterações climáticas incontroláveis. Achamos que o primeiro parece muito melhor.

  • Sim, a nossa empresa tem. A nossa pegada de carbono por litro é de aproximadamente 1kg ou aproximadamente 136.000 toneladas métricas de gases de efeito estufa por ano. Veja a nossa análise do ciclo de vida aqui.

  • Sim, a Ben & Jerry’s está comprometida a reduzir a sua pegada absoluta de GEE. Acreditamos que as empresas devem estabelecer metas ambiciosas que estão enraizadas na ciência. A Ben & Jerry’s está comprometida a desvincular o crescimento dos nossos negócios com o crescimento das nossas emissões de GEE. Estamos comprometidos com uma redução de 80% das nossas emissões absolutas até 2050, apesar de termos também o plano ambicioso de expanção dos nossos negócios. Entre agora e 2020, comprometemo-nos a reduzir a intensidade das emissões por unidade de produção em 15%.

  • Mais da metade das emissões de carbono da nossa empresa vem da produção dos nossos ingredientes, principalmente o leite. Em emissões agrícolas são 42% das emissões globais do ciclo de vida da nossa empresa, portanto, para fazer progressos na redução da nossa pegada, fizemos uma parceria com os nossos produtores de leite para melhorar o manejo do esterco, reduzir as emissões entéricas do rebanho e avançar para melhores métodos de cultivo que promovam a saúde do solo e seqüestram carbono. Além disso, continuaremos a impulsionar eficiências em todas as fábricas, na nossa rede de logística e na nossa cadeia de fornecimento de produtos congelados.

  • O transporte de saída corresponde a 15% da pegada dos nossos negócios, de modo que a logística é uma parte considerável da nossa pegada. No entanto, o gelado que enviamos internacionalmente é movido pelo mar, que é a maneira mais eficiente de transportar mercadorias. O World Shipping Council diz que uma tonelada de mercadorias pode ser embarcada do Porto de Melbourne, na Austrália, para o Porto de Long Beach, na Califórnia, a uma distância de 12.770 quilômetros, gerando menos emissões de CO2 do que as geradas ao transportar a mesma carga de produtos nos EUA, por caminhão, desde  Dallas até Long Beach, uma distância de 2.307 quilômetros (1.442 milhas). Podes saber mais sobre mais aqui. 

    Para que possamos fazer reduções significativas relativamente aos 15% da nossa pegada associada ao envio, precisamos de aumentar a eficiência das frotas de camiões frigoríficos que movem os nossos produtos para o mercado interno.

  • Somos uma empresa de laticínios e orgulhamo-nos do relacionamento que temos com os nossos agricultores. No entanto, tendo em conta que a agricultura é responsável por 15-20% das emissões globais de gases do efeito estufa, temos muito trabalho a fazer para reduzir as emissões agrícolas. É por isso que estamos a rever o nosso programa Caring Dairy para explorar possibilidades tais como o desenvolvimento de um modelo de gás de efeito estufa para as nossas quintas, que nos permita medir as reduções na pegada das mesmas. Também começamos a investir em tecnologias importantes como separadores de estrume e biodigestores em pastos. Assim, lutamos por reduzir a nossa pegada de GHG e beneficiar os agricultores ao mesmo tempo.

  • Somos fãs do nosso planeta e sempre controlamos o impacto que temos sobre o meio ambiente. Quando se trata da embalagem, todo o papel cartão das nossas embalagens é feito de papelão certificado pelo Forest Stewardship Council. Devido a problemas de higiene, somos obrigados a revestir o nosso cartão FSC; portanto, a embalagem não é, atualmente, amplamente reciclável. Esta é, também, uma das nossas preocupações e um dos assuntos que estamos a tentar melhorar.

  • Com o objetivo de manter a temperatura média global abaixo de 2º C, a Ben & Jerry's suporta as seguintes políticas

    • Garantir que 2/3 de todas as reservas de combustíveis fósseis comercialmente viáveis permaneçam no solo
    • Eliminar completamente todas as emissões de combustíveis fósseis o mais rápido possível, o mais tardar até 2050
    • Não fazer novos investimentos em infraestrutura de combustíveis fósseis
    • Envolver todos os países na eliminação das emissões de combustíveis fósseis, com ações que variam dependendo das responsabilidades comuns, mas diferenciadas, dos países e respectivas capacidades.
    • Transição da economia global para 100% de energia renovável, garantindo acesso a energia sustentável para todos até 2050
    • Colocar um preço baseado na ciência da poluição de carbono que limita o aquecimento a 2º C.
    • Criar uma estrutura global na qual as economias desenvolvidas ajudam a financiar a mudança para o desenvolvimento sustentável de baixa emissão e resiliência climática nos países em desenvolvimento e no sul.

     

Back To Top

View All FAQs