Skip to main content

Ben & Jerry's Ice Cream

Ben & Jerry's Ice Cream

Ben & Jerry's Ice Cream

Aquecimento global. Mudança climática. Justiça climática.
O que tudo isso significa?

Vivemos em um mundo onde os efeitos da mudança climática são cada vez mais reais; desde o derretimento das calotas polares até os incêndios em florestas, não se pode mais negar que a poluição do carbono efetuada pelo homem está afetando nosso frágil planeta. As evidências científicas são claras: o aquecimento global é real e já afeta pessoas no mundo todo. A pergunta agora é: "O que estamos fazendo a respeito disso?"

Read More 

Os efeitos em nosso planeta e nas pessoas:

A cada ano, vemos alterações nos padrões de precipitação, incluindo ocorrências de chuvas mais intensas em todo o mundo, mudanças dramáticas no ártico, alterações nas estações de cultivo agricultural e níveis elevados dos oceanos, além da acidificação destes. Algumas dessas mudanças em nosso clima terão dramáticas consequências ecológicas e sociais.  A ironia cruel da mudança climática é que as pessoas no mundo em desenvolvimento, que menos têm condições de se adaptar à mudança, pagarão o preço pelos 200 anos de industrialização e poluição do mundo desenvolvido. É verdadeiramente uma questão de justiça climática.

 

Soluções:

É mais urgente do que nunca tomar medidas para reduzir drasticamente as emissões globais de gases do efeito de estufa - e fazer isso de uma forma que equitativamente compartilhe os encargos e riscos da mudança climática entre as nações do mundo. Em última análise, temos de quebrar a ligação entre crescimento econômico e desenvolvimento e a extração e exaustão de recursos naturais.

Não há nenhuma solução rápida para resolver a mudança climática, mas sabemos o que temos de fazer. Devemos:

  • Não depender de combustíveis fósseis
  • Aumentar as fontes de energia renováveis
  • Colocar um preço sobre a poluição de carbono
  • Trabalhar com os países em desenvolvimento para investirem em energia renovável

O que isso significa para a Ben & Jerry’s?

A Ben & Jerry's tem uma longa história de luta pela justiça climática e encontrar maneiras de reduzir o impacto ambiental de nossas atividades. Em 2002, lançamos um programa de compensação de carbono para as nossas unidades de fabricação de Vermont. Em 2007, fizemos nossa primeira campanha contra o aquecimento global em parceria com a Dave Matthews Band. Nós investimos desde cedo e com frequência na eficiência em nossas instalações de produção, cadeia de suprimentos, e sorveterias para aumentar a eficiência energética e diminuir a nossa pegada de carbono.

Read More 

Quase todas as empresas têm emissões dos gases do efeito estufa associadas às suas operações, e isso inclui a Ben & Jerry's. Contamos com a agropecuária para os nossos ingredientes principais, especialmente o leite, assim como as fábricas que produzem nossos produtos, os caminhões para o transporte dos produtos acabados e os freezers para manter o nosso sorvete frio. Conhecemos a nossa pegada de carbono, e estamos trabalhando com as nossas operações para reduzi-la. Estamos trabalhando com os nossos agricultores para reduzir as emissões de metano das fazendas, liderarmos a mudança para um freezer mais limpo e mais verde nos Estados Unidos e construímos o Chunkinator na nossa fábrica na Holanda que ajuda a fornecer energia para a fábrica de subprodutos de sorvete.  Sabemos também que o que temos feito não é suficiente e temos de fazer mais. Nós fazemos progressos e informamos isso todos os anos em nosso Relatório de Avaliação Social e Ambiental (SEAR). Leia mais sobre os passos que estamos tomando para reduzir a nossa pegada de carbono e nosso plano para chegar a 100% de energia limpa em todas as nossas unidades norte-americanas em 2020.

Junte-se ao Movimento pelo Clima!

Em parte graças aos mais de 3,5 milhões de cidadãos em todo o mundo que subscreveram a petição Avaaz advertindo os líderes mundiais para enfrentar as alterações climáticas na Cimeira das Nações Unidas (COP21), o histórico acordo de Paris foi subscrito por 196 países comprometidos em manter o aquecimento global da temperatura abaixo de 1,5 graus Celsius.

E agora começa o verdadeiro trabalho.Chegou o momento de pressionar os nossos líderes mundiais a fazerem avanços para uma rápida transição para uma energia 100% limpa, e atingir as ambiciosas metas que nos levarão a um futuro mais verde e limpo.Junte a sua voz à de milhões exigindo ação climática, e subscreva hoje a petição!

  

Perguntas frequentes:

  • Qual o posicionamento da Ben & Jerry’s sobre a mudança climática?

    É real. Está acontecendo agora. Para nós, não se relaciona apenas a ursos polares e camadas de gelo, tem a ver com as pessoas e é uma questão de justiça econômica e social.

    Nós sempre tivemos um compromisso com a minimização do impacto negativo que nossa empresa tem sobre o meio ambiente. Fizemos investimentos em eficiência energética e redução de resíduos em nossas unidades de fabricação, instalamos biodigestores que transformam resíduos em energia limpa em nossas fábricas europeias e fornecemos o papelão para embalagem aprovado pelo Forest Steamship Council (FSC).

  • Por que a Ben & Jerry’s se importa com a mudança climática?

    Como uma empresa de alimentos, muitos dos nossos parceiros em nossa cadeia de valor, incluindo os nossos fornecedores de Comércio Justo no hemisfério sul, estão em risco real de um planeta em aquecimento. E porque a mudança climática é um risco para as pessoas em nossa cadeia de suprimentos, também é um risco para o nosso negócio.

  • O que exatamente você quer dizer com justiça climática?

    Para nós, a questão da mudança climática não é apenas uma questão ambiental. É uma séria ameaça para as pessoas mais pobres e vulneráveis do planeta. Esse problema tem sido em grande parte causado pelas nações ricas e desenvolvidas do hemisfério norte, enquanto as nações menos desenvolvidas do hemisfério sul estão mais em risco e têm menos recursos para se adaptarem a um mundo que está se aquecendo rapidamente. É uma questão de direitos humanos e justiça social.

  • O que vocês fizeram no passado em relação à questão da mudança climática?

    Estamos nisso há algum tempo. Em 2007 fizemos nossa primeira campanha contra o aquecimento global em parceria com a Dave Matthews Band. Temos um longo histórico de foco na redução do impacto ambiental de nosso negócio. Nós investimos desde cedo e com frequência na eficácia em nossas unidades de fabricação para aumentar a eficiência energética e reduzir o desperdício. Recentemente batizamos um biodigestor em nossa fábrica de sorvetes na Holanda que transforma os resíduos do processo de fabricação em energia limpa e fresca. Eis uma lista do que fizemos:

    • 2002 - Começamos as compensações de carbono com a NativeEnergy para nossas unidades de fabricação de Vermont
    • 2004 - Análise do Ciclo de Vida completa para a produção da União Europeia (UE) 
    • 2007 - A UE iniciou a compensação/inserção de carbono
    • 2007 - Campanha One Sweet Whirled Advocacy
    • 2008 - Inventário de carbono concluído nos EUA
    • 2008 - Parceria com o Greenpeace para ganhar a aprovação da EPA  para  armários de refrigeração sem hidrofluorocarboneto (HFC)
    • 2014 - Análise do Ciclo de Vida completa para os EUA
    • 2014 - Instalamos um biodigestor em nossa fábrica na Holanda
    • 2015 - Análise do Ciclo de Vida a ser concluída para a UE

     

  • Qual é o propósito de sua campanha de ativismo?

    Nós sabemos que a ação voluntária das empresas não vai realizar a mudança dos sistemas em larga escala que é necessária para manter o aquecimento abaixo de 2º Celsius. Precisamos que os líderes em todo o mundo apóiem políticas que gradualmente reduzam o uso de combustíveis fósseis e impulsionem um rápido aumento nas energias renováveis. Apenas um movimento social de base ampla vai construir a pressão contínua sobre os líderes mundiais que podem realizar esse futuro descarbonizado. É por isso que estamos empenhados em ajudar a construir o crescente movimento internacional do clima. Juntos, podemos mostrar aos líderes mundiais que o momento de agir é agora.

  • Como vocês estão montando o movimento?

    Estamos incentivando nossos fãs, consumidores e cidadãos para se tornarem uma parte do movimento climático global. Se formos evitar uma mudança climática catastrófica, isso vai exigir um movimento amplo e diversificado de cidadãos que estão dispostos a tomar medidas diretas para proteger o nosso planeta. Nós estaremos incentivando os nossos fãs para se juntarem à Avaaz, um dos muitos grupos que compõem o movimento global.

    A Avaaz continuará a envolver os nossos fãs e incentivá-los a agirem em momentos em que podem ser mais impactantes. Queremos fornecer uma maneira fácil para nossos fãs tomarem medidas sobre um problema com o qual sabemos que eles se preocupam.

  • Por que 2015?

    2015 é um grande ano.  Os líderes mundiais estabeleceram um prazo para finalizar um acordo internacional que exige que todos os países reduzam as emissões dos gases do efeito de estufa a fim de manter o aquecimento abaixo de 2º Celsius.  De forma direta: ou 2015 colocará o mundo em um caminho em direção a um clima estável a longo prazo, ou vamos nos prender a um futuro com uma mudança climática descontrolada.  Achamos que a primeira opção parece melhor.

  • A sua empresa não tem uma grande pegada de carbono?

    Sim, temos. Nossa pegada de carbono por meio litro é de cerca de 1 kg ou aproximadamente 136 mil toneladas de gases do efeito estufa por ano. Veja a nossa Análise do Ciclo de Vida aqui.

     

  • Vocês têm uma meta de reduzir a sua pegada de gases do efeito estufa?

    Sim, a Ben & Jerry's está empenhada em reduzir a sua pegada absoluta desses gases. Acreditamos que as empresas devem estabelecer metas ambiciosas que estejam enraizadas na ciência. A Ben & Jerry's está comprometida com a desvinculação entre o crescimento do nosso negócio e o crescimento de nossas emissões desses gases. Temos o compromisso de uma redução de 80% em nossas emissões absolutas até 2050, apesar de um plano ambicioso para o crescimento de nosso negócio. Entre agora e 2020, temos o compromisso de reduzir a intensidade de emissões por unidade de produção em 15%.

  • Como vocês pretendem alcançar seus objetivos de redução dos gases do efeito estufa?

    Mais da metade das emissões de carbono da nossa empresa vêm da produção de nossos ingredientes, principalmente do leite. Na emissão das fazendas estão 42% das emissões gerais do ciclo de vida de nossa empresa, por isso, a fim de fazer um progresso real para reduzir nossa pegada, fizemos parceria com nossa família de produtores de leite para melhorar a gestão do estrume, reduzir as emissões entéricas do rebanho e mover-nos em direção a melhores métodos de cultivo que promovam a saúde do solo e removam o carbono. Além disso, vamos continuar a impulsionar a eficiência em nossas fábricas, nossa rede de logística e cadeia de suprimentos de congelados.

  • O transporte de sorvete de Vermont para países como Austrália e Brasil não é muito intensivo em termos desses gases?

    O transporte de saída compreende cerca de 15% da pegada de nossas empresas, então a logística é uma parte considerável da nossa pegada. No entanto, o sorvete que nós enviamos internacionalmente é movido pelo, que é a forma mais eficiente para transportar mercadorias. O World Shipping Council diz que uma tonelada de mercadorias pode ser enviada a partir do Porto de Melbourne, na Austrália, para o porto de Long Beach, na Califórnia, a uma distância de 12.770 quilômetros (7.935 milhas), gerando menos emissões de CO2 do que o gerado ao transportar a mesma carga nos EUA por caminhão de Dallas a Long Beach, a uma distância de 2307 km (1442 milhas). Você pode saber mais sobre isso aqui.

    Para que façamos reduções significativas nos cerca de 15% da nossa pegada associada com o frete de saída, vamos precisar conduzir o aumento da eficiência nas frotas de caminhões refrigerados que se movem os nossos produtos no mercado interno.

  • E quanto a todas aquelas vacas?

    Sim, nós somos uma empresa de laticínios e estamos orgulhosos do nosso relacionamento com a família de pecuaristas que fornecem todo o nosso leite e creme de leite. No entanto, com a agropecuária responsável por 15-20% das emissões globais dos gases do efeito estufa, nós temos muito trabalho a fazer para reduzir as emissões em fazendas. É por isso que nós estamos revendo nosso programa Caring Dairy para explorar as possibilidades como o desenvolvimento de um modelo de gases do efeito estufa para nossas fazendas que nos permita medir as reduções reais na pegada de nossas fazendas. Nós também começamos a investir em tecnologias importantes, como separadores de adubo e biodigestores em fazendas leiteiras em nossa cadeia de fornecimento para reduzir nossa pegada de gases do efeito estufa e beneficiar os agricultores, ao mesmo tempo.

  • Vocês dizem que cuidam do meio ambiente, mas a embalagem não é reciclável. Por que não?

    Nós somos grandes fãs de nosso planeta, e sempre acompanhamos o impacto que estamos tendo no meio ambiente. Quando se trata de embalagem, todo o papelão em nossa embalagem é feito de papelão certificado pelo Forest Stewardship Council (FSC). Devido a questões de higiene, somos obrigados a encapar nosso papelão do FSC. Por conseguinte, a embalagem atual não é amplamente reciclável. Isso é algo que nós estamos buscando melhorar, e esperamos que no ano que vem possamos fazer progressos nesse sentido.

  • Quais políticas públicas vocês apóiam?

    A fim de manter a temperatura média global abaixo de 2º C, a Ben & Jerry's apóia as políticas a seguir.

    • Garantir que 2/3 de todas as reservas  atuais comercialmente viáveis de combustíveis fósseis permaneçam no solo
    • Completamente eliminar todas as emissões de combustíveis fósseis, logo que possível, no mais tardar até 2050
    • Não fazer novos investimentos em infraestrutura de combustíveis fósseis
    • Envolver todos os países na eliminação progressiva das emissões de combustíveis fósseis, com ações variando dependendo das responsabilidades comuns, porém diferenciadas dos países e respectivas capacidades
    • Fazer a transição da economia global para 100% de energia renovável, assegurando o acesso à energia sustentável para todos até 2050
    • Colocar um preço com base científica na poluição de carbono que limite o aquecimento a 2º C.
    • Criar um quadro global em que as economias desenvolvidas ajudem a financiar a transição para baixas emissões e o desenvolvimento sustentável resistente às alterações climáticas nos países em desenvolvimento e no hemisfério sul

     

Back To Top